sábado, 29 de maio de 2010

Criação de Canários : Comportamento Humano e Qualidade de Vida

Por vezes pergunto-me e perguntam me muitas vezes o que leva 1 rapaz de 23 a iniciar a criação de canários com tanto afinco e eu ponho-me a pensar e deparo-me com questões que vão desde conceitos de antropologia e sociologia, educação , envoltos em questões administrativas (empresas) e acções e sentimentos de extremo íntimo.
Passamos por diferentes questões sócio-económicas no século passado e ainda continuamos a passar.
Um marcado pela opressão, pelo poder seja nas mais variadas formas de organizações, ou até entre países.
O primeiro marcado por genocídios, guerras, etc, e neste pela globalização e pelo o grande impulso que a Internet teve na sociedade, pela procura do conhecimento, por resultados, por insegurança a todos os níveis, em que princípios como a religião, família,educação, amizade, personalidade passam a ser mistificados.
Surge então um individuo que por diversas razões requer uma melhoria nas relações inter e intra-pessoais.
Vivemos então numa época em que a única certeza que temos é a transformação.
Todas estas complexidades aliadas ao stress e ao corre-corre do dia a dia, força-nos a procurar alguma coisa mais, uma razão, e procurar alguma coisa que nos traga bem estar.
Mas o que é que isto têm a ver com Canaricultura? Simples: Qualidade de Vida! Não sei dizer porque razão sou encantado pelas aves , talvez pelo canto, pelas cores, alegria que elas demonstram, morfologia. Mas o fascínio existe, É uma Realidade.
Para muitos criar aves é um hobbie como é o meu caso, para outros é negocio e ainda para outros é a oportunidade de se reunir com os amigos para debater e discutir  os seus "Machos e Fêmeas", assim como os seus prémios obtidos em concursos dos mais diversos tipos.
Antigamente apercebia-se que as pessoas que criavam canários eram de classes baixas da sociedade, e muitas vezes pessoas já aposentadas. Diferente de hoje que verificamos que existem criadores que fizeram do hobbie a sua fonte de rendimentos.Encontramos outros em que encontram a satisfação na reunião com os amigos, que única e exclusivamente se reunem para tratar de canaricultura, com descontracção, amizade, dedicação.
Nesse interesse encaixam-se as famílias, os filhos e as esposas.
Em momentos difíceis temos vontade de terminar as criações,de vender tudo e até mesmo deixar de pertencer ao clube , diversas são as razões para isso.
No entanto as vezes basta a conversa com um amigo a sua visita ou um telefonema para falarmos de vivências, de futuro de campeonatos, de filhotes, de resultados para desistirmos do pensamento negativo.
Somos pessoas diferentes é evidente. Com actuações profissionais nos mais variados ramos de negocio, como medicina , vendas, administração de empresas , contabilidade, agricultura, etc. No entanto temos
uma coisa em comum o nosso vocabulário referente a canaricultura, que é nosso é único e onde tratamos tudo com muita paixão.
Assim sendo este legado será transmitido aos nossos filhos, assim como o meu pai me transmitiu a mim, pois quando nasci já ele criava canários a muitos anos, e esse contacto com as aves e todos os animais em geral sempre esteve presente na minha vida, embora agora tenha passado o legado da criação de canários depois de uns anos largos de interregno todo para cima de mim ainda continua a ter um papel muito preponderante que é ser o financeiro de toda a actividade e um observador muito critico pois eu ainda estou na universidade acabar os estudos.
Assim sendo para encerar deixo uma frase para aqueles que as vezes pensam em desistir:
Há homens que lutam, e são bons;
Há homens que lutam um ano, e são melhores;
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;
Porém há os que lutam toda a vida,
Estes são os imprescindíveis!
Bertold Brech
 

Cumprimentos ornitofilos
Tiago Jesus

1 comentário:

  1. Boas Tiago
    Só agora descobri que somos vizinhos,boas criações.
    um abraço

    ResponderEliminar